Top 3 de apostas de décor para 2021

Se existe um assunto que permeia o universo da decoração de interiores e da arquitetura são as tendências apresentadas nos eventos.

Estamos de olho nos revestimentos, nas formas, nos materiais, na cor do ano. Tudo isso potencializado pela velocidade e impacto das redes sociais.

Se na era pré-pandemia, os grandes eventos como o Salone de Mobile de Milão ou a Maison Object em Paris eram os gigantes desse mainstream, vemos hoje, os grandes nomes se adaptando e se reinventando ao mundo digital, em edições 100% online, como a Expo Revestir que acontece em São Paulo e junto à Casa Cor SP são considerados os locais onde se vê as tendências que vão dar o tom em terras brasileiras.

Observações à parte e tendo o universo da internet a favor, identifiquei três tendências de superfície que apareceram recentemente em feiras e eventos, estão com tudo e remetem ao retorno da simplicidade da arquitetura de interiores.


1. Blocos de vidro


Clássicos dos anos 90, os blocos em vidro tem uma função extremamente funcional, além do (discutível?) fator estético. Como no próprio nome, os blocos feitos em vidro fantasia permitem a passagem de uma iluminação difusa e resguardam a privacidade interna do ambiente. Sem sombra de dúvidas, a composição geométrica e a iluminação difusa provocada pela passagem da luz entre os blocos promove boas composições arquitetônicas.

Fonte: Denilson Machado | @studioro+ca

2. Pastilha cerâmica


As famosas pastilhas no formato quadrado com dimensões de 10x10cm ainda são bem comuns nos revestimentos de fachada mas não tanto quanto nas décadas em que esses eram os revestimentos entregues por construtoras para as "áreas molhadas" dos imóveis, sobretudo apartamentos. Porém, nos últimos anos, as referências de blogs internacionais apontam as pastilhas como opção para o "backsplash" das bancadas de cozinha mais minimalistas e/ou com pegada industrial. A cor do rejunte utilizado entre as pastilhas pode dar o tom dos projetos, sejam eles mais descontraídos, com uma marcação colorida ou discretos, deixando a composição mais limpa e delicada.



Fonte: @sarah_cocolapine

Fonte: @cr2arquitetura

3. Bancadas sem testeira


Testeira não é um termo unânime no Brasil e ele se refere ao acabamento frontal que geralmente aparece na parte inferior do balcão e serve para dar uma melhor finalização quando cortada à 45º, onde não se percebe a emenda da pedra na bancada. Mas se nos últimos anos seguimos num resgate à beleza do natural, nada mais justo que apresentar bancadas sem excessos, cumprindo sua função sem pesar demais nos ambientes.


Fonte: @linedesign_studio

Enquanto observamos o desenvolvimento e a confirmação ou não dessas tendências, podemos ampliar o repertório de representação arquitetônica e usar a criatividade para mudar a cara de ambientes mais tradicionais. Concordam?





0 comentário

Posts recentes

Ver tudo